alt

 

 

 

STAGE / ETAPA 11
PIAS / CASTRO VERDE

13 JUNE 2018

92 KM / 1266 M+

3

ALTIMETRY PDF / PDF ALTIMETRIA

 

DIÁRIO DA ETAPA DE UMA TRAVESSIA ANTERIOR

Na 11ª etapa PIAS - CASTRO VERDE com 92 Kms de extensão, a Travessia vai finalmente diagonalizar no país e atravessa o centro do Alentejo em direcção à Costa Vicentina. É a verdadeira etapa do Alentejo que todos julgam que conhecem. Para mim é uma etapa maravilhosa, isto porque eu gosto imenso dos grandes horizontes e dos contrastes coloridos que em qualquer altura do ano este Alentejo nos oferece. É uma etapa relativamente fácil do agrado de todos, os agora 30 participantes. Divididos por grupos de 10 pessoas cada, tudo é mais fácil e consegue-se bons ritmos de deslocação, a excepção foi o Nivel 1 que recebeu  pessoas que começaram a pedalar no fim de semana e não estavam preparadas para dias seguidos. Hoje no Nivel 2 houve também uma avaria mecânica (rotura de drop-out) que levou a alguns atrasos no grupo. Saímos de Pias às horas previstas, 9:15, 10:00 e 10:15 respectivamente para os nivel 1, 2 e 3 com um tempo fresco e algumas nuvens no horizonte.
Dirigimo-nos para Oeste em busca do Guadiana de novo, atravessando grandes plantações de girassóis com suas flores bem amarelas encimando um caule e folhas muito verdes fortemente contrastando com as searas lourinhas logo ao lado e com o nosso caminho, por onde rolavamos em silêncio, de terra bem vermelha sulcada por rastos de tractores.
Passamos o Guadiana por cima da ponte e logo em seguida enfiamo-nos por um single track ao lado dos carris duma antiga linha férrea com vistas de grande profundidade sobre todo o vale do Guadiana a Sul de Serpa, foram 5 kms de single track algo técnico devido às pedras soltas que nos obrigavam frequentemente a manobras de evasão e controle de equilibrio já que do lado esquerdo ameaçadoras ravinas esperavam um descuído nosso. Dissemos adeus ao Guadiana e embrenhamo-nos no Alentejo profundo passando pelas aldeias de Salvada onde parámos para abastecimentos, Cabeça Gorda, Albernoa. Em cada cabeço que subiamos avistavamos em silêncio todo um horizonte de searas douradas pelo Sol ondulando ao sabor da brisa cada vez mais fresca que se fez sempre sentir vinda de oeste, entretanto o céu tapou-se completamente e embora ainda não chovesse, previa-se que isso visse a acontecer a qualquer momento. As searas eram um autêntico mar de ouro salpicado aqui e acolá por árvores isoladas na paisagem e pequenos açudes de águas dum azul quase irreal. Pelas 2:30 da tarde estavamos quase em Albernoa e como  ainda não chovia criamos a esperança que se andassemos mais depressa poderiamos fugir à chuva antes de chegar ao hotel.
O fim aproxima-se mas mais extraordinárias etapas ainda há para viver e uma delas é já amanhã, rumo a Santa Clara e à sua deslumbrante barragem. Faça chuva ou faça Sol a Travessia vai em frente agora rumo ao mar.
Segundo o GPS esta foi a realidade de hoje em números:

- Extensão = 72 kms;
- Tempo a pedalar = 4h;
- Velocidade média = 16,9 Kms/h;
- Velocidade máxima = 46 Kms/h;
- Acumulado de subidas = 711 m;
- Acumulado de descidas = 770m;
- Totalizador da Travessia = 858 Kms.

  

SEE ALL / VER TODAS

NEXT / SEGUINTE