alt

 

 

 

STAGE / ETAPA 2
SENDIM / FREIXO DE ESPADA À CINTA

4 JUNE 2018

67 KM / 1243 M+

ALTIMETRY PDF / PDF ALTIMETRIA

 "

DIÁRIO DA ETAPA DE UMA TRAVESSIA ANTERIOR

Caros amigos, estamos em Freixo de Espada à Cinta depois de mais um dia de calor, mas que nem por isso deixou de motivar os ciclistas para pedalar nesta 2ª etapa que desde Sendim passa por inúmeras aldeias bem típicas de Trás-os-Montes, nomes como Urrós, Bemposta, Lamoso, Tó, Vila de Alá, Lagoaça e Mazouco decerto desconhecidos da maioria, são os locais onde passamos sempre brindados com uma grande admiração por parte das pessoas locais que nos interrogam a razão de andarmos por caminhos tão maus quando já existem estradas tão boas bem ali ao lado. Também estão sempre a oferecer-nos água fresca e a simpatia e amabilidade dos transmontanos tem sido regra por todo o lado onde passamos. Caracterizando esta etapa cujo perfil altimétrico é, como nós costumamos dizer, do tipo "frisadinho" ou seja, um subir e descer constante, podemos dividi-la em 3 partes.

Uma primeira parte bastante frisadinha com abruptas subidas e descidas cruzando os vales das ribeiras e outras linhas de água que desaguam no Douro com muitas aldeolas pelo caminho. Uma segunda parte depois de Vila de Alá com menos relevo e com uma passagem pelo planalto granítico junto a Lagoaça onde rolamos sobre grandes lajes de pedra em pisos muitos rápidos que fez as delícias ciclistícas que quem quis andar rápido. E uma terceira parte onde predominam as paisagens deslumbrantes sobre o Douro internacional, como o é aquela que é a imagem ex-libris da Travessia, a vista do Douro sobre a povoação de Mazouco, uma paisagem de tirar a fala com o Douro bem lá no fundo de águas tão tranquilas espelhando as margens abruptas e arborizadas numa imagem parasidiaca que jamais se esquece. Hoje fomos 30 a pedalar divididos em 3 grupos que saímos de Sendim às 9:15, 9:45 e 10:15 respectivamente do mais lento para o mais rápido. Por força de um parafuso to tubo de selim partido na bicicleta do Ricardo Rodrigues  encontramo-nos todos em Lamoso ao Km 19. Esta avaria foi uma resultante da tentativa de subida da calçada a seguir a Bemposta que constitui um desafio já habitual na Travessia e que até hoje ainda ninguém a conseguiu fazer sem desmontar. São 800 metros de subida muito técnica com muitas pedras e degraus. é possível ser feita mas exige uma boa capacidade respiratória e um grande domínio da bicicleta. Em Tó, atestamos de água no café do largo da povoação e fizemos-nos ao caminho para chegarmos a Freixo ás 16:30 o grupo mais rápido, às 17:00 o Nível 2 e às 19:30 os mais lentos. Nesta etapa houve apenas 3 furos todos no Nível 1. De uma forma geral esta etapa foi para todos a mais bonita e ao jantar no Restaurante a Cinta de Ouro em Freixo, todos comentavam a maravilha de tudo o que viram e viveram neste dia bem cheio de BTT do mais puro. A Travessia vai em frente e amanhã deixamos Trás-os-Montes e vamos entrar nas Beiras. Cada dia é vivido intensamente e longe estão já as imagens da partida em Rio Bragança e a Serra de Montesinho. Para a etapa de hoje o nosso GPS disse:

- Extensão = 67 Kms;
- Velocidade média = 15,0 Kms/h;
- Tempo gasto a pedalar = 4h 28';
- Vel Máx. =  46,7 Kms/h;
- Totalizador da Travessia = 147 kms;
- Acumulado de subidas na etapa = 1026 m;
- Acumulado de descidas na etapa = 1295 m.

  

SEE ALL / VER TODAS

NEXT / SEGUINTE