RULES

 

Article 1
(Race)

  1. TRANSPORTUGAL is an adventure race for all persons over 18 years of age, of any sex or nationality, comprising 8 stages with a total extension of about 1000 km, in a line track that crosses Portugal from North to South.
  2. There are no age groups or classes and all Competitors compete in a single category.
  3. The race is simultaneously disputed by all Competitors who compete against one another being the aim to complete the race in the shortest time possible.
  4. The race includes the completion of a route established by the Organization with no recourse to motorized means of transport.
  5. The race is won by the Competitor who completes the route in the least accumulated time, after adding time penalties and potential bonuses.
  6. The event lasts 9 days, being the first (day zero) meant for the accreditation and the remaining 8 destined to the race.
  7. The race’s organizing entity is CICLONATUR DESPORTOS, LDA., with CTIN 502837861 and head office at Av. Reinaldo dos Santos 24, 2675-693 Odivelas (hereinafter referred to as Organization).

Article 2
(Registration)

  1. Registrations for TRANSPORTUGAL race are limited to the number of vacancies available for each edition, which is established by the Organization.
  2. Registrations open on October 1st of the year before the corresponding edition, and the registration form is available at the race’s site (www.trans-portugal.com) and end on March 31st of the year of the race.
  3. The person interested in participating requests his/her registration by filling the form mentioned in the previous number.
  4. Then, he/she shall be contacted by the Organization via an email in which he/she is informed if the registration request has been validated.
  5. If the request for registration has been validated, the Person Interested must pay the amounts established by the Organization, namely in accordance to the rules foreseen in numbers 12, 13 and 14 infra.
  6. Once the payments are made, the Organization approves the registration application and communicates its approval to the applicant.
  7. A registration is considered complete and produces effects after the registration application has been validated and approved by the Organization.
  8. Before any payments are made by the Applicant, the Organization is entitled to refuse a registration application without having to state the reasons for its decision.
  9. The registration price is the one indicated in the race’s site and depends of the services pack(s) that the Applicant wishes to purchase.
  10. Those who apply for registration after all available vacancies for that year have been filled will be contacted by the Organization, which shall inform that person that the race is fully booked and the conditions that he/she must meet to be included in the waiting list.
  11. If there is a vacancy (no matter the reason), the first athlete in the waiting list is contacted via email to fill in the vacancy and he/she has 2 working days to confirm and accept to fill in vacant slot. If, within the time mentioned, he/she refuses the vacancy or if the period ends without his/her confirmation, the athlete who is next in the list is invited to accept the vacancy and so forth.
  12. Without prejudice to numbers 13 and 14 of this article, the registration application is only approved after the payment of at least 50% of the total value of the packs acquisition is made. The mentioned payment must be received by the Organization up to the fifth working day of the registration application date.
  13. All registrations requested before the year of the race have to be fully paid until December 31st.
  14. Registrations requested between January and March of the year of the race must be fully paid until two working days after the registration validation.
  15. Non-fulfilling the payment rules established in the previous numbers implies the refusal of the registration application in question or if it has already been approved, the revocation of that approval based on the non-fulfilment of the Regulation attributable to the Competitor.
  16. If the approval is revoked, the person Interested shall be reimbursed of the amount paid minus 15% of the total value of the registration.
  17. At any moment, the Organization can revoke the approval of a registration application based on the Competitor’s breach of this Race Rules or the basic sports ethical principles.

Article 3
(Withdrawals Before the Beginning of the Race)

  1. Withdrawals undertaken before the beginning of the race must be communicated to the Organization by email.
  2. Withdrawals must be communicated to the Organization up to 60 days before the beginning of the race. In this case, the Competitor can choose one of the two following possibilities:
    1. Partial reimbursement of the amount already paid, considering that:
      1. If the opened vacancy was allocated to another athlete, the Competitor is entitled to the amount already paid minus 15% of the total value of the packs acquired.
      2. If the opened vacancy was not allocated to anyone, the Competitor is entitled to the amount paid minus an amount equal to 50% of the total value of the packs acquired.
      3. The moment when it is established if the vacancy was, or was not, filled is the one in which the Competitor requires the reimbursement.
    2. Request registration in the following year’s edition of the race and require partial allocation of the amount already paid as prepayment of that registration, considering that:
      1. The competitor is the holder of the entry booked for the following year.
      2. The Organization allocates 85% of the amount already paid to the registration payment to the following year. The remaining 15% is retained for the payment of administrative and logistic expenses already undertaken for the participation of the Competitor in the current year.
      3. The Competitor must confirm the registration up to ten days after the registrations open date for the following year’s race. If he/she does not do this, he/she loses the right to any reimbursement or to the right to request the allocation of that amount to the pre-payment of registrations in editions of subsequent years.
  3. When communicating the withdrawal, the Competitor must state his/her option with regard to one of the two possibilities given and mentioned in the previous number. If this statement is not received by the Organization, the second possibility is the one considered as chosen [indicated in b)].
  4. If the withdrawal is requested after the time limit mentioned in no. 2 of this Article, the person who withdraws is not entitled to a reimbursement nor can he/she request his/her registration to be transferred to the following year’s edition of the race, no matter if the vacancy opened is, or is not, filled.

Article 4
(Track)

  1. The TRANSPORTUGAL track is composed of unpaved pathways, trails and forest roads in about 80% of its extension.
  2. The racetrack is not marked on the ground. It uses public trails on and off road, crossing villages and towns and uses service roads that go through private properties.
  3. The track is not closed for the race. Therefore, the Competitors must consider the possibility of encountering vehicles, people and/or animals circulating in both directions in the race track.
  4. In the track, whenever there are gates or gateways, Competitors must open and close them to pass, and leave them as they were found. Non-fulfilment of this rule is punished with the exclusion from the race.
  5. It is mandatory to follow the race’s track. Sanctions are foreseen for those who do not comply with this rule.
  6. The race’s track is considered as being an imaginary 100 meters wide corridor containing the race’s GPS track line. The applicable penalty consists of adding 10 minutes to the time done by the Competitor in the stage, for each missing kilometre of part of kilometer.
  7. Before the start of the race, the Organization installs into the Competitors’ GPS devices, a map containing the race track.
  8. The GPS is the only navigation means that the Competitors have to follow the race track.
  9. Competitors are solely responsible for the operation of their GPS devices, for the safekeeping of the data installed into it by the Organization and for making sure that their GPS device is in their possession during the race and recording their progression on the ground.
  10. Except when otherwise indicated by the Organization, it is not mandatory to undertake the race track inside urban areas which are represented with a “pink” background on the topographic map supplied by the Organization.
  11. Except when otherwise indicated by the Organization, Competitors must always take existing roads, trails or tracks.
  12. The GPS race track may present continuity failures. In this case all routes taken to connect the interrupted line will be considered valid.
  13. The GPS track may present deviations from the existing trails and thus Competitors must follow the existing trails even if that does not match precisely the GPS track provided that the deviations do not exceed the 100 meters corridor mentioned in previous no. 6.
  14. The race track crosses many roads some of which perpendicularly, which may be dangerous for the Competitors due to lack of visibility and the speed of vehicles. Thus the Competitors must stop at least for 5 seconds at all crossroads identified by the Organization and included in the data installed into the Competitor’s GPS and which shall be marked with a symbol and/or the word ‘STOP’.
  15. A 30 minutes penalty is applied for each breach of the STOP obligation, which will be verified by analysing the Competitors GPS recorded track at the end of each stage.
  16. A Competitor that does not respect the safety rule mentioned in the previous numbers more than 3 times during the race will be excluded from it.
  17. A Competitor can leave the race track whenever he/she wishes to do so without penalty provided that he/she resumes it at the same point where he left it or at one before it.

Article 5
(Transport)

  1. The Organization provides transportation of Competitors as well as of their luggage from Lisbon to the location where the race starts and from the location where the race ends to Lisbon. The Competitor’s luggage must be composed of a maximum of two suitcases: one for the bike and the other for the remaining personal items.
  2. At day zero, the Competitor is given a bag with capacity up to 80L, in which he/she must place all his/her personal items that he/she shall need for the race.
  3. The Organization transports the mentioned bag from one stage to the next.
  4. During the race, the Competitor only has access to the bag given by the Organization.
  5. Personal items that have not been placed inside the mentioned bag shall remain in the Competitor’s original suitcase which is stored inside a sealed truck. This suitcase is handed out to the Competitor immediately after the last stage.
  6. The Competitor only has access to his/her personal items kept inside the truck in case of withdrawal.

Article 6
(Self-sufficiency)

  1. The race is done in full self-sufficiency, thus the Competitor cannot have external assistance during the stages under penalty of being excluded from the race.
  2. For purposes of the previous number, external assistance is any pre-programmed action of supplying assistance in any physical way to a Competitor, whether he/she requests it or not.
  3. The exception to the rule mentioned in the previous numbers is the assistance given by the Organization when Competitors request it and in this case there is an applied penalty of one hour. Medical emergency situations are not penalized.
  4. The assistance given to the athletes by decision of the Organization, whether or not pre-programmed is lawful.
  5. Also lawful is the assistance, required, or not, by the Competitors during the race with regard to the navigation and use of their GPS devices. A 15 minutes penalty will be applied each time a Competitor requests and is supplied with batteries for his/her GPS device.
  6. Assistance among Competitors is allowed while they are racing.
  7. Getting supplies in an autonomous and unplanned manner from private or public establishments is not a breach to the number one of this article.

Article 7
(Mobile phone)

  1. Competitors are required to carry a mobile phone from the beginning to the end of the stage.
  2. The lack or non-operationality of the mobile phone results in a penalty of 1 hour, for each time the fault is detected.

Article 8
(Equipment)

  1. The use of a helmet compatible with the chosen mean of locomotion is mandatory whenever the athlete is not moving on foot, under penalty of being excluded from the race.
  2. The use of graphics or any other ways of visual expression of obscene character on the Competitors’ equipment is punished in the same terms as those mentioned in the previous number.

Article 9
(Race Plate and Number)

  1. Competitors must use a plate with their race number, which must be placed in the front of the chosen mean of locomotion in a visible way under penalty of a 30 minutes sanction for every time the infringement takes place.
  2. The Competitor that goes through a Check Point (CP) without the plate or with the data on the plate not duly visible receives a sanction corresponding to not having gone through that Check Point as foreseen in article 13.2.
  3. Besides allowing the athlete’s identification, plates have advertising related to the race’s main sponsors and they cannot be used for any other purposes. All changes to the plates’ dimensions have to be previously authorized by the Organization under penalty of exclusion from the race.

Article 10
(Handicaps)

  1. The natural inequalities of physical capability among Competitors (arising from age and gender) are corrected by the chronological anticipation of the start time of some Competitors in each stage.
  2. The anticipation quantum is a percentage of the time allocated by the Organization to the stage in question, in accordance to the Race Pack.
  3. The percentages are as follow:
    1. Female participants - 14%;
    2. Participants over 40 years of age:
      1. =>41 =<45 - 2%
      2. =>46 =<50 - 5%
      3. =>51 =<55 - 9%
      4. =>56 =<60 - 14%
      5. =>61 =<65 - 19%
      6. =>66 =<69 - 24%
      7. =>70 - 30%
  4. If applicable, percentages indicated in the previous number are cumulative.
  5. The Competitor who benefits from a handicap starts the stage before the Official Start Time, being the anticipation amount determined in accordance to terms of no. 3 supra.

Article 11
(Start)

  1. The Official Start Time is the time when Competitors who do not benefit from a handicap start the stage.
  2. The Official Start Time is documented in the Race Pack and corresponds to the GPS time for the Western European time zone (London, Lisbon).
  3. The Start Control Point (identified as ‘CHP’) closes 15 minutes after the Official Start Time.
  4. All Competitors beneficiating or not from a handicap can leave up to 15 minutes after the Official Start Time.
  5. A Competitor who leaves after the closing of the CHP will not have the stage validated. For all purposes, the Organization considers that in this case the Competitor is not participating in this stage declining all responsibilities in occurrences in which he/she might be involved.

Article 12
(Arrival)

  1. The location of the Finish Control Point (CHC) is given to the Competitors, namely through the indication of their geographical coordinates or indication in the race map installed by the Organization and visible in the GPS device display.
  2. The Competitor ends the stage when he/she crosses the corresponding Finish Line and this is the relevant moment for purposes of determining the stage time.
  3. The Finish Line is physically identified with a mark on the ground, info board or banner with the words ‘META’.
  4. The Finish Control Point (CHC) closes at the time indicated in the Race Pack and is calculated by multiplying by 1.75 the best stage record of previous editions of the race or the time allocated by the Organization for that same stage.
  5. If the first Competitor who crosses the Finish Line has exceeded the record time of that stage, the CHC closing time is proportionally extended, and the same factor of multiplication (1.75) is used to do so.
  6. If the Competitor finishes the stage after the CHC updated closing time, in accordance to the terms in the previous number, the corresponding stage is not validated.
  7. At each stage arrival, all Competitors are required to hand out their GPS to the Organization, so that the latter can remove the track recorded and check if the race track has been respected for that corresponding stage.
  8. The competitor who does not hand out his/her GPS is allocated the maximum time foreseen in the Race Pack for that stage plus all eventual penalties.
  9. If the GPS is broken or does not hold the race track undertaken by the athlete the consequence foreseen in the previous number is applied to the Competitor.
  10. Next to the Finish Line of each stage, the Organization sets up a support structure to supply free drinks, fruit and snacks to the athletes.

Article 13
(Check Points)

  1. The Organization installs Check Points (CP) throughout the track that might, or not, be identified.
  2. A penalty of 60 minutes will be given for each skipped CP.
  3. CP are monitored by members of the Organization. In this case, the person in charge of the CP registers the time of passage of the Competitors by taking note of the athletes race numbers, as well as the hour, minute and second of their passages.
  4. The location of the identified CP is previously informed to the participants, namely though the indication of geographical coordinates or indication in the race map installed by the Organization and visible in the GPS device display.
  5. Some CP have a closing time, which is communicated to all Competitors the day before each stage. Closing time is updated in accordance to number 5 of the previous article.
  6. All Competitors that arrive at a CP after its updated closing time must stop that stage and they are transported to the finish line by the Organization or they receive instructions on how to get there safely. Consequently, the stage in question is not validated.
  7. Except where stated otherwise by the Organization or if signalled by a ‘STOP’ mark, Competitors are not obliged to stop or slow down when they go through the CP.

Article 14
(Intermediate Timed Sections)

  1. To increase the race competitiveness, timed intermediate sections can be established, specially timed and object of an Intermediate Classification.
  2. Competitors are informed of such sections at the start of the stage. The sections are chosen taking into account the type of pavement, gradient and relief in order to match the different abilities of the competing athletes.
  3. These sections grant the first 10 athletes who finish the timed section bonuses in the form of time to be deducted to the Final Time achieved on the race in accordance to number 5 and to the following table:
    1. 1st place – 5’
    2. 2nd place – 3’
    3. 3rd place – 2’
    4. 4th place – 90’’
    5. 5th place – 1’
    6. 6th place – 50’’
    7. 7th place – 40’’
    8. 8th place – 30’’
    9. 9th place – 20’’
    10. 10th place – 10’’
  4. Intermediate Classifications are calculated considering the existence of handicaps.
  5. The Stage Classification does not consider these bonuses but they will be reflected in the General Classification.

Article 15
(Trackers)

  1. For the Competitors’ safety, the Organization shall lend each Competitor a geographical positioning monitoring device (a tracker).
  2. The devices mentioned in the previous number are small and are carried by the Competitors in a place to be indicated by the Organization in order to safeguard their correct operation.
  3. Any damage the tracker has when it is returned to the Organization or its disappearance is the sole responsibility of the Competitor that carried it.
  4. Failure to return the tracker intact at the end of the stage obligates the Competitor who carried it to pay for its repair or replacement, up to 180.00€ (one hundred and eighty euros).
  5. The Competitor who refuses to carry the tracker or who carries it in a location different from the one indicated by the Organization, shall have the stage annulled.

Article 16
(Withdrawal from a Stage)

  1. The Competitor who wishes to withdraw from a stage must immediately inform the organization at any control point or call the Coordinator’s Office using the emergency contacts’ card handed out to the Competitors before the beginning of the race.
  2. If there is no information on the whereabouts of a Competitor’s, the Organization may trigger a search and rescue operation. Existing costs shall be charged to the Competitor who recklessly or through serious negligence did not communicate his/her withdrawal.
  3. If a Competitor withdraws or is unable to validate three stages, the Organization prevents him/her from undertaking the following stages. In this case, if the athlete wishes to accompany the Organization until the end of the race, he might have to pay extra transport costs with regard to the remaining stages, if existing, being this decision made on a case-by-case basis by the Organization.

Article 17
(Withdrawal from the Race)

  1. The Competitor can withdraw from the Race at any given moment.
  2. The Competitor shall not be reimbursed of the price paid for any good or service which he has not used due to withdrawing from the race.
  3. Without prejudice of the content of the previous number, if the athlete wishes to accompany the Organization until the end of the race, he might have to pay extra transport costs with regard to the remaining stages, if existing, being this decision made on a case-by-case basis by the Organization.

Article 18
(Technical Support)

  1. When registering for the race, Competitors can acquire an additional service called “BIKE DLUX PACK’, which includes the daily washing, drying and lubricating of his/her bike, and any maintenance work that may be required during the race.
  2. Technical assistance requested to the Organization by Competitors who did not acquire the “BIKE DLUX PACK”, are subject to the availability of technical services and will be charged according to an hourly labour rate set out by the Organization.
  3. The “BIKE DLUX PACK” acquired before the 31st December previous to the race, costs 279.00€. If it is acquired on a later date it costs 319.00€.
  4. In all cases, Competitors must pay for all spare parts and/or accessories that might be needed in the repairs.

Article 19
(Massages Service)

  1. The Organization has a team of professional masseurs available at the end of each stage.
  2. At the moment of registration, the Competitor can acquire a “MASSAGE PACK”, which includes a daily massage on the first 7 days of the race.
  3. The MASSAGES PACK, if acquired before the 31st December previous to the race, costs 249.00€. If it is acquired on a later date it costs 289.00€.
  4. Pending on the availability of masseurs, Competitors can purchase massages locally during the event. In this case each massage costs 40.00€.
  5. Each massage session has a duration of 25 minutes.

Article 20
(Accommodation)

  1. The registration price includes the Competitor’s accommodation during the race in a shared room.
  2. Allocation of roommates is undertaken by the Organization taking in account as much as possible the requests made by the Competitors at the moment of registration.
  3. At the moment of registration, Competitors can acquire single room accommodation (SINGLE PACK), which means they will be lodged alone throughout the entire race. The number of these SINGLE PACKS is limited.

Article 21
(Compulsory Disqualification)

The Race Director is entitled to exclude from the race, Competitors who are in the following situations:
  1. Voluntary or non-voluntary state of physical or mental incapacity;
  2. Unsportsmanlike conduct;
  3. Breach of the Race Rules;
  4. Illegal conduct;
  5. Disrespect for the environment;
  6. Gross disrespect for the Organization and/or other Competitors.

Article 22
(Classifications)

  1. In the race results or classifications all accountable times are measured in hours, minutes and seconds.
  2. The Organization daily produces two classifications: one ranking the Competitors’ performance on the day’s stage (Stage Classification) and another showing their accumulated results in all stages up to that moment of the race (General Classification).
  3. In both cases, a classification is ranked from the best to the worst accountable time – adding the existing due penalties, and deducting due bonuses. It will also show average speeds and time differences between competitors.
  4. The General Classification is primarily sorted by Competitors who have all stages validated and ranked by the least total accountable time in the sum of those stages, also taking in account the eventual results obtained in the intermediate Classifications.
  5. For Competitors who haven’t all stages validated, their position in the General Classification is ranked firstly by the number of stages validated, then by the number of total kilometres done and finally by the time accounted for in the race.
  6. At the end of the 8 stages, the Final Times of each Competitor are computed and the General Classification is done in accordance to the same rules stated in the previous numbers.
  7. All claims must be presented in a written form up to 60 minutes after the results are published.

Article 23
(Prizes and Souvenirs)

  1. The first 4 athletes of the Final Classification, in accordance to the previous article, are awarded the following monetary prizes:
    1. 1st - 2.350 Euros
    2. 2nd - 850 Euros
    3. 3rd - 400 Euros
    4. 4th - 200 Euros
    5. 5th - 100 Euros
  2. Without prejudice of the previous number, Money prizes will only be awarded if at start of the race there are more than 40 eligible participants.
  3. All participants are given:
    1. A Race T-shirt
    2. A branded “Transportugal Race” sports bag.
  4. Competitors who have not been excluded from the race are given a diploma stating his/her classification.
  5. Competitors who have all stages validated in the race, are also given a cycling jersey with the wording “Transportugal Finisher”.


Article 24
(Omissions and Interpretation of the Race Rules)

Any issue not foreseen in this instrument as well as interpretation doubts that may arise are integrated and solved by the Organization, respecting equality and impartiality principles.


REGULAMENTO DE PROVA

 

Artigo 1.º
(Prova)

  1. A TRANSPORTUGAL é uma prova de aventura, aberta à participação de qualquer pessoa com mais de 18 anos de idade, de qualquer sexo ou nacionalidade, disputada por 8 etapas, com uma extensão total de cerca de 1000 km, num percurso em linha que atravessa Portugal de Norte a Sul.
  2. Não existem escalões ou classes, e todos os Concorrentes competem numa única categoria.
  3. A prova é disputada em simultâneo por todos os Concorrentes, os quais competem entre si, sendo o objetivo a realização da prova no menor tempo possível.
  4. A prova consiste na realização de um percurso previamente determinado pela Organização, sem recurso a qualquer meio motorizado de locomoção.
  5. A prova é ganha pelo Concorrente que cumprir o percurso no menor tempo total acumulado, somadas as eventuais penalizações e deduzidas as eventuais bonificações.
  6. A prova tem a duração de 9 dias, sendo o primeiro (dia zero) destinado à acreditação e os restantes 8 destinados à competição.
  7. A entidade organizadora da prova é a CICLONATUR DESPORTOS, LDA., titular do NIF/NIPC 502837861, e sede na Av. Reinaldo dos Santos 24, 2675-693 Odivelas (adiante designada Organização).

Artigo 2.º
(Inscrição)

  1. As inscrições na prova TRANSPORTUGAL estão limitadas ao número vagas disponíveis para cada edição, o qual é determinado pela Organização.
  2. As inscrições abrem no dia 1 de outubro do ano precedente ao da respetiva edição, com a disponibilização da ficha de inscrição no site da prova (www.trans-portugal.com), e encerram no dia 31 de março do ano em que a prova se realiza.
  3. O Interessado solicita a sua inscrição através do preenchimento da ficha referida no número precedente.
  4. Em seguida, é contactado via e-mail pela Organização, que o informa sobre se a solicitação de inscrição foi validada.
  5. Tendo a solicitação de inscrição sido validada, o Interessado deve proceder aos pagamentos indicados pela Organização, designadamente segundo as regras previstas n.os 12, 13 e 14 infra.
  6. Sendo realizados os referidos pagamentos, a Organização aprova a solicitação de inscrição e comunica esse facto ao Interessado.
  7. Uma inscrição só se considera completa e produz os seus efeitos após a solicitação de inscrição ter sido validada e aprovada pela Organização.
  8. Antes da realização de qualquer pagamento por parte do Interessado, a Organização tem o direito de recusar a solicitação de inscrição, sem, para esse efeito, necessitar de fundamentar a sua decisão.
  9. O preço da inscrição é o indicado no site da prova e depende do(s) pack(s) de serviços que o Interessado pretenda adquirir.
  10. Quem realizar a respetiva solicitação de inscrição após terem sido preenchidas as vagas disponíveis para a edição pretendida é contactado pela Organização, que o informa sobre a circunstância de a prova se encontrar lotada e das condições que deve preencher para ser incluído na lista de espera.
  11. Abrindo uma vaga (independentemente da razão), o primeiro atleta na lista de espera é contactado, via e-mail, para preenchê-la, tendo 2 dias úteis para confirmar a aceitação da mesma. Se, dentro deste prazo, recusar a vaga ou se terminado este prazo não se pronunciar, é convidado a aceitá-la o membro da lista que se encontrar na posição seguinte, e assim sucessivamente.
  12. Sem prejuízo das regras previstas nos n.os 13 e 14 deste artigo, a solicitação da inscrição só é aprovada depois de realizado o pagamento de, pelo menos, 50% do valor total dos packs contratados. O referido pagamento tem de ser recebido pela Organização até ao quinto dia útil contado da data de inscrição.
  13. Todas as inscrições solicitadas antes do ano em que a prova se realiza têm de ser integralmente pagas até dia 31 de dezembro do ano precedente.
  14. As inscrições solicitadas entre janeiro e março do ano em que a prova se realiza têm de estar integralmente pagas até dois dias úteis após a validação da solicitação de inscrição.
  15. O incumprimento das regras de pagamento constantes dos números precedentes determina a não-aprovação da solicitação de inscrição em causa ou, caso a mesma já tenha sido aprovada, a revogação dessa aprovação, com fundamento no incumprimento do Regulamento imputável ao Concorrente.
  16. Sendo a aprovação revogada, o Interessado é reembolsado do montante entretanto pago deduzido de uma quantia equivalente a 15% do valor total da inscrição.
  17. A Organização pode, a qualquer tempo, revogar a aprovação de uma solicitação de inscrição com fundamento na violação, por parte do Concorrente, das regras do presente Regulamento ou de princípios éticos desportivos fundamentais.

Artigo 3.º
(Desistências Antes do Início da Prova)

  1. As desistências que ocorram antes do início da prova devem ser comunicadas à Organização por e-mail.
  2. A desistência deve ser comunicada à Organização até 60 dias antes do início da prova. Neste caso, o Concorrente pode optar por uma de duas das seguintes alternativas:
    1. Reembolso parcial da quantia entretanto entregue, sendo que:
      1. Se a vaga aberta em resultado da desistência for preenchida, o Concorrente tem direito a ser reembolsado do montante entretanto pago deduzido de uma quantia equivalente a 15% do valor total dos packs contratados.
      2. Se a vaga aberta em resultado da desistência não for preenchida, o Concorrente tem direito a ser reembolsado do montante entretanto pago deduzido de uma quantia equivalente a 50% dos packs contratados.
      3. O momento em que se determina se a vaga foi, ou não, preenchida corresponde àquele em que o Concorrente exige que seja realizado o reembolso.
    2. Solicitar a inscrição na edição do ano seguinte e a afetação parcial da quantia entretanto entregue ao pagamento dessa inscrição, sendo que:
      1. O Concorrente fica titular de uma vaga reservada para a edição do ano subsequente.
      2. A Organização afeta ao pagamento da inscrição na edição do ano subsequente 85% da quantia entretanto entregue, sendo os 15% restantes retidos para pagamento de despesas administrativas e logísticas já realizadas tendo em vista a participação do Concorrente no ano corrente.
      3. O Concorrente deve confirmar a sua inscrição até 10 dias após o início das inscrições para a prova no ano subsequente. Se o não fizer, perde o direito a qualquer reembolso ou à faculdade de solicitar a afetação dessa quantia ao pagamento de inscrições em edições de anos posteriores.
  3. No ato em que comunica a desistência, o Concorrente deve declarar a sua opção por uma das alternativas referidas no número precedente. Caso esta declaração não seja realizada, considera-se escolhida a segunda alternativa [indicada em b)].
  4. Se a desistência for comunicada apenas depois do prazo limite referido no n.º 2 do presente artigo, o desistente não tem direito a qualquer reembolso nem a solicitar a transferência da sua inscrição para o ano seguinte, independentemente de a vaga aberta vir ou não a ser preenchida.

Artigo 4.º
(Percurso)

  1. O percurso da TRANSPORTUGAL é composto, em cerca de 80% da sua extensão, por caminhos, trilhos e estradas florestais não asfaltadas.
  2. O percurso da prova não está marcado no terreno, utiliza vias públicas, quer seja em estrada ou fora de estrada, atravessa aldeias e vilas, e utiliza serventias que atravessam propriedades privadas.
  3. O percurso não está fechado para a prova. Por conseguinte, os Concorrentes devem ter em consideração a possibilidade de haver viaturas, pessoas e/ou animais a circular num e noutro sentido, no percurso da prova.
  4. Nos locais do percurso onde existam portões ou cancelas, os Concorrentes têm de abri-los e fechá-los para passar, devendo deixá-los tal como os encontraram, sendo que a não observância desta regra é punida com a exclusão da prova.
  5. É obrigatório cumprir o percurso da prova, estando previstas sanções para quem o não cumpra.
  6. Considera-se o percurso da prova um corredor imaginário com 100 metros de largura, contendo a linha GPS (track) do percurso da prova. As sanções aplicáveis correspondem à adição de 10 minutos ao tempo efetivamente gasto pelo Concorrente na etapa, por cada quilómetro do percurso não cumprido. Para este efeito, por qualquer fração de quilómetro incumprida é considerada um quilómetro inteiro.
  7. Antes do início da prova a Organização faz o carregamento dos aparelhos de GPS dos Concorrentes com um mapa do percurso da prova desenhado como uma estrada designada ‘TP’.
  8. O GPS é o único meio de orientação de que os Concorrentes dispõem para seguir o percurso da prova.
  9. Os Concorrentes são os únicos responsáveis pelo bom funcionamento do respetivo GPS, pela preservação dos dados nele carregados pela Organização, e, sobretudo, por garantirem que o GPS está sempre com eles e a registar todo o percurso efetuado.
  10. Salvo nos casos em que a Organização indicar o contrário, dentro das povoações, não é obrigatório cumprir o percurso da prova. Considera-se que um registo está dentro de uma povoação sempre que a linha traçada se encontra dentro, ou na periferia da zona urbana que no mapa topográfico fornecido pela Organização é representada como uma mancha de cor “rosa”.
  11. Salvo nos casos em que a Organização indicar o contrário, os Concorrentes devem circular sempre pelas estradas, caminhos ou trilhos existentes.
  12. A linha no GPS com o percurso da prova pode conter falhas de continuidade; nestes casos consideram-se boas todas as opções tomadas pelos Concorrentes entre os pontos limites da linha interrompida.
  13. A linha no GPS com o percurso da prova pode apresentar desvios relativamente ao caminho marcado no terreno, pelo que os Concorrentes devem seguir o caminho marcado no terreno mesmo que isso não corresponda exatamente à linha no GPS, desde que os desvios não impliquem extravasar o corredor de 100 metros referido no n.º 6 precedente.
  14. O percurso da prova atravessa muitas estradas e cruza-as na perpendicular, o que constitui um perigo acrescido para os Concorrentes, quer pela falta de visibilidade, quer pela velocidade dos veículos que nelas circulam, pelo que é obrigatória a paragem durante, pelo menos 5 segundos, em todos os cruzamentos identificados pela Organização e incluídos nos dados carregados no GPS do Concorrente sendo por este visualizados com um símbolo e/ou a palavra ‘STOP’.
  15. O cumprimento da obrigação de segurança prevista no número anterior é escrutinado no final da etapa, através da análise do registo efetuado pelos aparelhos de GPS dos Concorrentes, e é aplicada uma penalização de 30 minutos por cada vez que não tenha sido observada.
  16. Um Concorrente que incumpra a regra de segurança referida nos números anteriores, mais que 3 vezes durante a prova é excluído da prova.
  17. Um Concorrente pode abandonar o percurso da prova sempre que quiser não sofrendo qualquer penalização, sempre que volte a ele no mesmo ponto que o abandonou ou num ponto precedente àquele.

Artigo 5.º
(Transporte)

  1. A Organização realiza o transporte dos Concorrentes, bem como da respetiva bagagem, de Lisboa até ao local em que a prova se inicia, e desde o local em que a prova termina até Lisboa. A bagagem de cada Concorrente deve restringir-se a duas malas: uma para a bicicleta e outra para os restantes bens pessoais.
  2. No dia zero da prova, é entregue ao Concorrente um saco, com capacidade até 80L, no qual deve colocar todos os bens pessoais de que necessite durante a prova.
  3. A Organização faz o transporte do aludido saco entre as várias etapas.
  4. Durante a prova, o Concorrente apenas tem acesso ao saco entregue pela Organização.
  5. Os bens pessoais que não forem colocados dentro do mencionado saco permanecem na mala original do Concorrente, a qual é colocada dentro de um camião selado. Esta mala é entregue aos Concorrentes, logo após a última etapa.
  6. O Concorrente só tem acesso aos seus bens pessoais guardados no camião da prova, em caso de desistência.

Artigo 6.º
(Autossuficiência)

  1. A prova é disputada em regime de autossuficiência total, não podendo o Concorrente beneficiar de qualquer ajuda exterior durante as etapas, sob pena de ser excluído da prova.
  2. Para efeitos do número anterior, considera-se ajuda exterior toda e qualquer ação pré-programada de providenciar ajuda sob qualquer forma física a um Concorrente, quer este a solicite ou não.
  3. Excetua-se ao disposto nos números anteriores, a ajuda prestada pela Organização, quando os Concorrentes a solicitem, estando neste caso prevista uma penalização de uma hora, sem prejuízo de situações de emergência médica.
  4. São lícitas as ações de auxílio aos atletas, realizadas por decisão da Organização, pré-programadas ou não.
  5. É lícita a ajuda, solicitada ou não pelos Concorrentes em prova, no âmbito da orientação no terreno e operacionalidade dos aparelhos GPS, com exceção do fornecimento de pilhas para o GPS, para o qual está prevista uma penalização de 15 minutos.
  6. É admissível o auxílio entre Concorrentes, enquanto estes se encontrem a realizar a prova.
  7. Não configura uma violação ao preceituado no número um a circunstância de um Concorrente, durante a prova, se abastecer de forma autónoma e não previamente planeada, do que quer que seja em estabelecimentos privados ou públicos.

Artigo 7.º
(Telemóvel)

  1. É obrigatório o uso de telemóvel por parte dos Concorrentes, desde o início da etapa até à sua conclusão.
  2. A falta ou inoperacionalidade do telemóvel, durante o período previsto no número anterior, dá lugar a uma penalização de 1 hora, por cada vez que se verifique a falha.

Artigo 8.º
(Equipamento)

  1. É obrigatório o uso de capacete compatível com o meio de locomoção utilizado pelo atleta, sempre que este não se desloque a pé, sob pena de ser excluído da prova.
  2. A utilização de grafismos ou outras formas de expressão visual de caráter obsceno no equipamento dos Concorrentes é punida nos mesmos termos do número anterior.

Artigo 9.º
(Placa e Número de Prova)

  1. Os Concorrentes são obrigados a utilizar uma placa com o respetivo número de prova, a qual deve ser colocada, bem visível, na parte da frente do meio de locomoção utilizado, sob pena de aplicação de uma penalização de 30 minutos, por cada vez que se registar a ocorrência da infração.
  2. Ao Concorrente que se apresente num Controlo de Passagem (CP) sem a placa, ou de forma a que os dados nela inscritos não sejam percetíveis, é-lhe aplicada a sanção correspondente à não passagem nesse Controlo de Passagem como previsto no artigo 13.2.
  3. As placas, além de permitirem a identificação do atleta, contêm publicidade alusiva aos principais patrocinadores da prova, e em caso algum podem ser utilizadas para outros fins. Qualquer alteração ao tamanho das placas tem de ser previamente autorizada pela Organização, sob pena de exclusão da prova.

Artigo 10.º
(Handicaps)

  1. As desigualdades naturais de capacidade física entre os vários Concorrentes (decorrentes da idade e do género) são corrigidas através, da antecipação cronológica da partida de alguns Concorrentes em relação aos demais, nas várias etapas.
  2. O quantum da antecipação é uma percentagem do tempo de duração atribuído pela Organização à etapa em causa, nos termos do Programa Geral da Prova.
  3. As percentagens são:
    1. Participantes do sexo feminino - 14%; e,
    2. Participantes com mais de 40 anos de idade:
      1. =>41 =<45 -="" 2="" li="">
      2. =>46 =<50 -="" 5="" li="">
      3. =>51 =<55 -="" 9="" li="">
      4. =>56 =<60 -="" 14="" li="">
      5. =>61 =<65 -="" 19="" li="">
      6. =>66 =<69 -="" 24="" li="">
      7. =>70 - 30%
  4. Se aplicável, as percentagens indicadas no número anterior são cumulativas.
  5. O Concorrente que beneficie de um handicap, inicia a etapa antes da Hora Oficial de Partida, sendo a medida da antecedência determinada nos termos do n.º 3 supra.

Artigo 11.º
(Partida)

  1. A Hora Oficial de Partida é a hora de partida dos Concorrentes que não beneficiem de um handicap.
  2. A Hora Oficial de Partida consta do Programa Geral da Prova, e corresponde à hora do GPS para o fuso horário da Europa Ocidental (Londres, Lisboa).
  3. O Controlo da Hora de Partida (identificado como ‘CHP’) encerra 15 minutos depois da Hora Oficial de Partida.
  4. Todos os Concorrentes, beneficiem ou não de um handicap, podem partir até 15 minutos depois da Hora Oficial de Partida.
  5. Não é validada a etapa do Concorrente que partir depois do encerramento do CHP. Para todos os efeitos a Organização considera neste caso que o Concorrente não se encontra em prova, declinando toda e qualquer responsabilidade numa eventual ocorrência em que este esteja envolvido.

Artigo 12.º
(Chegada)

  1. A localização do Controlo Horário de Chegada (CHC) é previamente informada aos Concorrentes, nomeadamente através de indicação das coordenadas geográficas ou da sinalização em mapa da prova, previamente carregado pela Organização e visível no ecrã dos aparelhos de GPS.
  2. O Concorrente termina uma etapa quando cruza a respetiva Linha de Meta, e é este o momento relevante para efeitos do apuramento do tempo realizado.
  3. A Linha de Meta é identificada fisicamente com uma linha no solo, placa ou lona aérea com a palavra ‘META’.
  4. O CHC fecha à hora prevista no Programa Geral da Prova, sendo que a mesma corresponde ao produto de 1,75 pelo melhor tempo da etapa (record da etapa) obtido em anteriores edições da prova, ou pelo tempo atribuído pela Organização para essa mesma etapa.
  5. Se o primeiro Concorrente a cortar a Linha de Meta, numa etapa, tiver ultrapassado o tempo record daquela etapa, a hora de fecho do CHC é proporcionalmente estendida, utilizando-se para tal o mesmo fator de multiplicação (1,75).
  6. Se o Concorrente terminar a etapa depois da hora de fecho atualizada do CHC, nos termos do número anterior, a respetiva etapa não é validada.
  7. À chegada de cada etapa, a todos os Concorrentes é pedido que entreguem o seu GPS à Organização, para que esta possa a partir daqueles aferir o percurso efetuado e verificar do cumprimento do percurso estabelecido para a respetiva etapa.
  8. Ao Concorrente que não entregar o seu GPS é-lhe atribuído o tempo máximo previsto no Programa Geral de Prova para a respetiva etapa, acrescido das eventuais penalizações na etapa.
  9. Se o GPS não contiver o registo do percurso efetuado pelo atleta, é-lhe aplicada a consequência prevista no número anterior.
  10. Junto à Linha de Meta de cada etapa, a Organização instala uma estrutura de apoio para fornecer gratuitamente aos atletas bebidas, frutas e snacks.

Artigo 13.º
(Controlo de Passagem)

  1. A Organização instala ao longo do percurso Controlos de Passagem (CP), que podem ou não estar identificados.
  2. A falta de passagem por um CP implica uma penalização de 60 minutos.
  3. Os CP podem ser monitorizados por elementos da Organização. Neste caso, o responsável pelo posto de controlo anota a passagem dos Concorrentes, através do registo do número de prova do atleta, bem como a hora, minuto e segundo da passagem.
  4. As localizações dos CP identificados são dadas a conhecer previamente aos participantes, nomeadamente através de indicação das coordenadas geográficas ou sinalização em mapa da prova, previamente carregado pela Organização e visível no ecrã dos GPS.
  5. Alguns CP têm hora de fecho previsto, a qual é comunicada a todos os Concorrentes no dia anterior a cada etapa. A hora de fecho é atualizada, nos termos do n.º 5 do artigo anterior.
  6. Todos os Concorrentes que cheguem a um CP depois da sua hora de fecho atualizada são obrigados a interromper a respetiva etapa, e são transportados para o final da mesma pela Organização ou recebem indicações sobre como lá chegar em segurança. Consequentemente, a etapa em causa não é validada.
  7. Salvo indicação em contrário da Organização, ou se sinalizados com ‘STOP’, os Concorrentes não são obrigados a parar ou abrandar quando passam nos CP.

Artigo 14.º
(Troços Intercalares Cronometrados)

  1. Para estimular a componente competitiva da prova, podem ser estabelecidas partes intermédias de etapas (troços), especialmente cronometradas e objeto de uma Classificação Intercalar.
  2. Os troços são conhecidos pelos atletas à partida para a etapa a que dizem respeito, e a escolha daqueles varia tendo em conta o tipo de piso, inclinação e relevo, de modo a responder às diferentes aptidões dos atletas em competição.
  3. A Classificação Intercalar confere aos 10 primeiros atletas a terminar o troço cronometrado bonificações em tempo a deduzir ao Tempo Final obtido na prova, nos termos do número 5, e de acordo com a seguinte tabela:
    1. 1.º classificado – 5’
    2. 2.º classificado – 3'
    3. 3.º classificado – 2’
    4. 4.º classificado – 90’’
    5. 5.º classificado – 1’
    6. 6.º classificado – 50’’
    7. 7.º classificado – 40’’
    8. 8.º classificado – 30’’
    9. 9.º classificado – 20’’
    10. 10.º classificado – 10’’
  4. As Classificações Intercalares são apuradas tendo em conta a existência de handicaps.
  5. A Classificação da Etapa não tem em conta estas bonificações, sendo estas refletidas na Classificação Geral.

Artigo 15.º
(Trackers)

  1. Para segurança dos Concorrentes, a Organização entregar-lhes dispositivos de monitorização do seu posicionamento geográfico, os trackers.
  2. Os dispositivos referidos no número anterior apresentam dimensões reduzidas (inferior a um telemóvel) e são transportados pelos Concorrentes em local indicado pela Organização, de modo a salvaguardar o bom funcionamento dos mesmos.
  3. Os danos que o tracker apresente, aquando da sua devolução à Organização, ou o seu desaparecimento presumem-se imputáveis ao Concorrente que o transportava.
  4. A não devolução do mesmo, ou a devolução do aparelho danificado no final da prova obriga o Concorrente que o transportava ao pagamento da sua reparação ou substituição, cujo valor pode ascender a 180,00€ (cento e oitenta euros).
  5. Ao Concorrente que se recuse a transportar o tracker ou a não transportá-lo no local indicado pela Organização, é-lhe anulada a etapa.

Artigo 16.º
(Desistência de Realização de Etapa)

  1. O Concorrente que pretenda desistir de uma etapa tem de informar de imediato a Organização, em qualquer posto de controlo ou contactando telefonicamente o Gabinete do Coordenador, recorrendo para tal ao cartão com os contactos de emergência, distribuído a todos os Concorrentes antes do início da prova.
  2. Na falta de informação sobre a localização do Concorrente, a Organização pode despoletar uma operação de busca e resgate, cujos custos, se os houver, são cobrados ao Concorrente que negligente ou dolosamente não comunicou a sua desistência.
  3. Se um Concorrente desistir ou não conseguir validar três etapas, a Organização impede-o de realizar as etapas seguintes. Neste caso, se o atleta pretender acompanhar a Organização até ao final da prova, pode ter de suportar custos extras de transporte ao longo das restantes etapas, se os houver, sendo esta decisão tomada casuisticamente pela Organização.

Artigo 17.º
(Desistência da Prova)

  1. O Concorrente pode, em qualquer altura, desistir da prova.
  2. O Concorrente não é reembolsado do preço pago por qualquer bem ou serviço de que não usufrua, em virtude da desistência da prova.
  3. Sem prejuízo do estabelecido no número anterior, se o atleta pretender acompanhar a Organização até ao final da prova, pode ter de suportar custos extras de transporte ao longo das etapas, se os houver, sendo esta decisão avaliada casuisticamente pela Organização.

Artigo 18.º
(Suporte Técnico)

  1. Os Concorrentes podem contratar, no ato da inscrição, um serviço suplementar designado “PACK BIKE DLUX’, o qual consiste numa lavagem diária, secagem, lubrificação e toda a manutenção que eventualmente seja necessária durante a prova.
  2. As intervenções técnicas solicitadas à Organização por Concorrentes que não tenham contratado o pacote “PACK BIKE DLUX” estão sujeitas à disponibilidade dos serviços técnicos e importam a cobrança, a título de mão-de-obra, de um valor/hora a definir pela Organização.
  3. O “PACK BIKE DLUX”, contratado até 31 de dezembro do ano anterior à edição em que o mesmo é usufruído, tem o preço de 279,00€; se for contratado posteriormente, tem o preço de 319,00€.
  4. Em qualquer caso, os Concorrentes têm de pagar as peças ou acessórios que venham a ser utilizados nas reparações.

Artigo 19.º
(Serviço de Massagens)

  1. A Organização providencia a existência de uma equipa de profissionais de massagens à chegada de cada etapa.
  2. No ato de inscrição, o Concorrente interessado neste serviço pode contratar um “PACK MASSAGENS”, o qual consiste na realização de uma massagem diária, após cada uma das primeiras 7 etapas.
  3. O PACK MASSAGENS, se contratado até 31 de dezembro do ano anterior à edição em que o mesmo é usufruído, tem o preço de 249,00€; se for contratado posteriormente, tem o preço de 289,00€.
  4. A contratação de massagens durante a prova é feita à chegada de cada etapa, ficando sujeita à disponibilidade da equipa de massagistas, e tem o preço unitário de 40,00€.
  5. Cada sessão de massagem tem a duração de 25 minutos.

Artigo 20.º
(Alojamento)

  1. O preço de inscrição inclui o alojamento do Concorrente durante a prova em quarto partilhado.
  2. A atribuição de companheiro de quarto é realizada pela Organização, tendo em conta, na medida do possível, os pedidos feitos pelos Concorrentes aquando da inscrição.
  3. Os Concorrentes podem contratar, no momento da inscrição, o alojamento singular (PACK SINGLE), ficando, neste caso, alojados em quarto que utilizam com exclusividade, ao longo de toda a prova. O número de alojamentos singulares é limitado.

Artigo 21.º
(Abandono Compulsivo)

O Diretor de Prova tem competência para expulsar Concorrentes que se encontrem em qualquer das seguintes situações:
  1. Estado voluntário ou involuntário de incapacidade, seja ela física ou mental;
  2. Conduta antidesportiva;
  3. Violação do presente Regulamento;
  4. Conduta ilegal;
  5. Desrespeito pelo meio ambiente; e,
  6. Desrespeito grosseiro pela Organização e/ou por outros Concorrentes.

Artigo 22.º
(Classificações)

  1. Para efeitos de apuramento das classificações, os tempos são registados e contados em horas, minutos e segundos.
  2. A Organização elabora diariamente duas classificações, uma referente à prestação dos Concorrentes na etapa do dia (Classificação da Etapa), e outra referente à prestação dos Concorrentes no acumulado de todas as etapas cumpridas até esse momento da prova (Classificação Geral).
  3. Em qualquer dos casos a classificação é ordenada do melhor para o pior tempo alcançado - somadas ao tempo obtido pelos Concorrentes as devidas penalizações, se as houver, e deduzidas as devidas bonificações, se as houver, revelando ainda as médias horárias e as diferenças horárias entre Concorrentes.
  4. A Classificação Geral principia pelos Concorrentes que tenham todas as etapas validadas, ordenados pelo menor tempo total pontuado no somatório dessas etapas, considerando para tal também as Classificações Intercalares.
  5. Para os Concorrentes cuja classificação contemple menos etapas validadas, a sua posição na Classificação Geral é ordenada primeiramente pelo número de etapas validadas, seguidamente pelo número de quilómetros totais, e finalmente pelo menor tempo contabilizado em prova.
  6. No final das 8 etapas são apurados os Tempos Finais de cada Concorrente e elaborada a Classificação Final, nos mesmos moldes dos números anteriores.
  7. Todas as reclamações devem ser apresentadas, por escrito, até 60 minutos depois da afixação dos resultados.

Artigo 23.º
(Prémios e Lembranças)

  1. Aos 5 primeiros atletas da Classificação Final, apurados nos termos do artigo anterior, são atribuídos os seguintes prémios monetários:
    1. 1.º - 2.350 Euros
    2. 2.º - 850 Euros
    3. 3.º - 400 Euros
    4. 4.º - 200 Euros
    5. 5.º - 100 Euros
  2. Sem prejuízo do número anterior, só há atribuição de prémios monetários, se aquando do início da prova estiverem a participar mais de 40 Concorrentes.
  3. Todos os participantes recebem:
    1. Uma T-shirt alusiva ao evento; e,
    2. Um saco de transporte da “Transportugal”.
  4. Os Concorrentes que não tenham sido excluídos recebem um diploma com a sua classificação.
  5. Os Concorrentes que tenham todas as etapas da prova validadas recebem ainda uma camisola com a inscrição “Transportugal Finisher”.

Artigo 24.º
(Casos Omissos e Interpretação do Regulamento)

As hipóteses não previstas neste instrumento, bem como as dúvidas interpretativas que possam emergir do mesmo são integradas e resolvidas pela Organização, com respeito pelos princípios da igualdade e imparcialidade.