REGISTE-SE | LOGIN | PESQUISAR | EMPRESA | CONTACTOS
   
 
NOTÍCIAS | DOWNLOADS | OFERTAS | FORMAÇÃO | PAGAMENTOS E CONDIÇÕES | MAPA

DOWNLOADS

Caminho da Pasta: \ Downloads \ Tracks GPS \

Ficheiro: TroiaSagres.gpx

file.png
Enviada:
03.11.10
Modificada:
14.11.16
Tamanho do Ficheiro:
132 KB
Downloads:
11591
Version
1.0

 

27º TRÓIA – SAGRES em BTT  10-12-2016

 

barco

 

O Tróia-Sagres não é uma Organização da Ciclonatur, nem é uma organização sequer. É tão sómente o resultado de um convite que faço aos meus amigos para virem comigo fazer esta ligação por estrada de BTT e ajudarem-me a levar por diante esta minha obstinação anual.

O Percurso do Tróia-Sagres são 200 Kms medidos com um GPS.A bicicleta a utilizar é uma BTT, de 1 ou mais lugares, caracterizada como tal por apresentar: guiador de BTT e apoios no quadro para cantilevers ou travão de disco. Tudo o restante é da livre escolha de cada um.

 

* Partida de Tróia às 8:00
* O horário dos barcos em Setúbal que viabilizam este timing são: 6:15 e 7:15
* Cada pessoa deve procurar encaixar-se num grupo que à partida se proponha a rolar a uma média que esteja ao seu alcance.
* As partidas são feitas segundo a vontade de cada grupo já constítuido, bastando apenas fixar a hora a que estão a partir.
* As partidas devem ser feitas espaçadas e não devem os grupos rolar juntos mantendo sempre uma distância razoável entre eles de forma a possibilitar o bom desenvolvimento do trânsito nas estradas, que embora não principais têm algum movimento neste fim de semana.
* Aconselha-se que os grupos mais lentos partam primeiro.* Habitualmente fazemos 2 paragens de cerca de 5 minutos cada para abastecimento. A primeira cerca do Km 71 junto ao cruzamento para S. Torpes em frente à Central Termo-eléctrica de Sines e a segunda na povoação do Rogil no café o Pão do Rogil, ao Km 146. No entanto cada grupo pode escolher fazer as paragens que quiser com a duração que quiser.
* O objectivo é chegar antes do Sol posto que por esta altura será cerca das 17h.
* Para fins estatísticos o tempo que normalmente contabilizamos é o tempo a andar, portanto as paragens não contam.
* Os carros de assistência não devem andar em marcha lenta atrás dos grupos mas sim deslocarem-se por etapas de cerca de 20 Kms cada esperando até que o seu ciclista ou grupo passe e alguns minutos depois arrancar de novo, ultrapassar o grupo de novo e parar uns quilómetros mais à frente, repetindo sempre esta tarefa. Próximo do Rogil e se assim o entender é de boa estratégia que o carro de assistência em antecipação prepare os cafés ou outras bebidas ou comidas no café O Pão do Rogil para quando o grupo chegar ter tudo preparado.
* Os carros de assistência devem tentar não perturbar o trânsito nas estradas e encostar sempre em local retraído na berma da estrada.
* Para quem tem GPS o traçado do percurso está disponível na nossa página de GPS

 

A história do Tróia - Sagres

Quando fiz 40 anos, o que aqui entre nós, não foi assim há tanto tempo, estabeleci para mim próprio um teste anual para contrariar a sensação de velho que minhas filhas já adultas me faziam sentir.
Tinha de ser um teste duro e dificilmente ao meu alcance. Como por essa altura fazia atletismo de fundo e sobretudo ultramaratonas, não fazia muito sentido estabelecer objectivos no desporto para o qual estava bem treinado. Daí pensei na bicicleta que era algo que não praticava com regularidade.
Em cada Natal, com a reunião de toda a família, ficamos particularmente mais sensível ao tema da velhice e nesse mesmo ano de 1990 decidi que a viagem que invariavelmente fazia a Sagres para passar o fim de ano com a família passaria a fazê-la de bicicleta todos os anos até que pudesse. Este era o teste, ir de Tróia a Sagres de bicicleta num só dia e chegar antes de anoitecer.
Ora se por um lado com a minha devoção ao BTT, o que aconteceu logo no ano a seguir, isso tornou o objectivo a alcançar menos duro e fácil de conseguir, por outro lado a mudança da hora de Inverno para um hora mais cedo veio a tornar as coisas mais complicadas.
Nesse 1º ano de 1990 levei 10 horas e 25 minutos a chegar a Sagres depois de muito suor e lágrimas. Em 2003 no entanto gastei apenas 6 horas e 12 minutos.
Vários são os factores que podem contribuir positivamente para tornar a viagem mais: fácil:
Ir em grupo, o tempo colaborar, não haver vento de frente, a boa alimentação nos dias anteriores, dormir suficientemente nas noites anteriores, comer um farto pequeno almoço no dia, e ter um carro de assistência.
Felizmente todos os anos há uns quantos amigos que respondem afirmativamente ao meu convite para me acompanharem nesta loucura o que torna a viagem mais agradável e o convívio ao jantar nesse dia transforma-se num dos bons momento da minha vida.
A tomada de tempo na chegada a Sagres é feita na placa toponímia de entrada na vila e a concentração depois da chegada é junto ao Posto de Turismo de Sagres.

O dia da viagem

grupo.jpg

Baseado na experiência dos anos anteriores começo em Tróia por preparar a sandes que vou comer na 1º paragem e deixar na Assistência, encher o Camel-Bak de água até à 1º paragem e enfiar uma barra energética atrás na blusa. Durante todo este tempo mantenho-me bastante agasalhado por causa do frio. A seguir faço uns bons exercícios de aquecimento das articulações e procuro isolar-me por uns momentos para entrar descontraidamente no espírito do que vou fazer a seguir. Dou algumas instruções ao meu grupo de como vamos progredir em grupo, isto é; Vamos sempre em fila indiana cabendo a cada um a tarefa de puxar à frente durante 2 Kms se não houver vento de frente e 1 Km se o vento soprar de Sul com pouca intensidade, se o vento for muito forte encurta-se ainda mais o espaço que cada um puxa à frente.A rotação faz-se por "queda" para trás do que vai na frente.

Procuramos rolar durante os primeiros 10 minutos a uma velocidade inferior a 30 Kms/h (sem vento) e a partir daí vamos progressivamente aumentando o ritmo durante os 20 minutos seguintes de forma a que nos fixemos numa velocidade de rolamento média de 35/38 Kms/h (nas zonas planas) até ao final em Sagres.

O percurso que faço é sempre o mesmo todos os anos e ano após ano tenho assistido a um progressivo melhoramento do piso das estradas o que também contribui para uma melhor e mais cómoda viagem

O percurso

- Saída de Tróia na rotunda à saída dos ferry.
- Passagem por Comporta, Torre e Carvalhal
- Virar à direita para MELIDES no entroncamento cerca de 1 km depois do Carvalhal.
- Passagem por Pinheiro da Cruz e Melides
- Virar à direita para Santo André/Sines no entroncamento a seguir
- Em ALDEIA DE BRESCOS virar à esquerda para SINES
- Passagem pela Cidade Nova de Santo André, entrar na via rápida para Sines e na rotunda perto de Sines seguir em frente na direcção do Algarve.
- Junto a Sines não seguir para Sines e virar à esquerda na direcção do Cercal.
- Passagem junto à central Termo-eléctrica (aqui faço a 1º paragem de 5 minutos para abastecimento).
- Virar à direita para PORTO COVO no entroncamento mais à frente.
- Virar à esquerda na direcção ALGARVE no entroncamento a seguir.
- Virar à esquerda na direcção ALGARVE no 2º entroncamento a seguir.
- Passagem por Foros de Pouca Farinha, vale de Mouro e Ribeira da Azenha.
- Virar à direita nas Brunheiras na direcção de Vila Nova de Milfontes.
- Passagem sobre a ponte do rio Mira junto a Milfontes e uns bons quilómetros mais à frente- Sair para a direita na direcção do CABO SARDÃO,
- Virar para a esquerda na direcção de Fataca no entroncamento a seguir.
- Passagem por Fataca, cruzamento de Daroeira e Malavado.
- Virar à esquerda na direcção de S. Teotónio no entroncamento a seguir
- Virar à direita na direcção de Lagos no entroncamento ao chegar a S. Teotónio.
- Passagem por Baiona, Odeceixe, Maria Vinagre, Rogil (aqui faço a 2º paragem para abastecimento no café O PÃO DO ROGIL onde em antecipação já mandei o meu carro de assistência pedir para preparar um chá quente e uma tosta mista) e Aljezur.
- Virar à direita na direcção de SAGRES no entrocamento mais à frente onde se larga a estrada principal que vai para Lagos.
- Passagem por Alfombras, Bordeira, Carrapateira e Vila do Bispo.
- Em Vila do Bispo tomar a via rápida para Sagres.
- Chegada a Sagres, na 1º rotunda sair à esquerda na direcção do centro da vila. Na 2º rotunda junto à Praça da República, seguir em frente pela esquerda na direcção da Baleeira. - Como habitualmente este ano a paragem faz-se junto ao Posto de Turismo em frente à Praia da Mareta.

ALOJAMENTO EM SAGRES.

O Hotel MEMMO BALEEIRA***** é o hotel parceiro da Ciclonatur e este ano oferece condições muito especiais para os participantes. Clique no link a seguir e faça as suas reservas. 

https://secure.guestcentric.net/api/bg/book.php?nrNights=1&;startDay=2012-12-15&preselect=promo183&apikey=5da59352d0165309628564a5724fcb30

Obrigado pela vossa companhia, camaradagem e encorajamento.

Os números da história do Tróia-Sagres em BTT

1996.jpg

Participações melhor tempo

1990 - Sozinho - 10h 25m

1991 - 2 loucos (acabo sozinho) - 9h 45m

1992 - Sozinho - 8h 36m

1993 - Sozinho - 8h 15m

1994 - 2 loucos (acabamos 2) - 8h 02m

1995 - 2 loucos (acabo sozinho) - 8h 05m

1996 - 8 loucos (acabam 7) - 7h 23m

1997 - 18 destemidos, 2 loucas mulheres (acabam 10 e as 2 mulheres) - 6h 38m

1998 - 40 destemidos, 4 loucas mulheres (acabam 39, incl. 4 mulheres) - 6h 32m

1999 - 48 destemidos (acabaram 32 ) - 7h 02m

2000 - 57 destemidos, 1 destemida mulher (acabaram 52, incl a mulher) - 6h 23m

2001 - 63 destemidos, 1 mulher (acabaram muitos e a corajosa mulher) - 6h 42m nota: Todos os tempos apontados foram realizados pelo grupo em que eu me inseria excepto em 2001, que fiz 6h 55m

2002 - 165 participantes, algumas mulheres, (acabaram mais de 90%), melhor tempo que constitue novo record: 6h 04m. Bati o meu record pessoal e fiz 6h 17m.

2003 – 334 participantes, muitas mulheres,  (acabaram muitos), melhor tempo é de 5h 56m. Bati de novo o meu record que passa a ser de 6h 12m.

2004 – 220 participantes, algumas mulheres (acabaram quase todos), melhor tempo é de novo record e passa a ser de 5h 25m. Fui em passeio este ano e fiz 6h 52m.

2005 – Cerca de 350 participantes, muitas mulheres. Quase todos acabaram, alguns a altas horas da noite. Este ano fiz 6h 16m

tandem.jpg2006 – Cerca de 500 participantes.

2007 – Cerca de 500 participantes

2008 – Cerca de 600 participantes à partida em Tróia, mas devido ao temporal que se fez sentir todo o dia, só cerca de 150 chegaram ao fim. Devido a uma teimosa gripe e à consequente pioria da mesma durante o evento, pela primeira em 19 anos do Tróia Sagres não consegui completar, tendo ficado pelo km 140. Febre e arrepios de frio ditaram a minha sorte daquele dia.

2009 - Cerca de 740 partiram de Tróia num dia muito ameno e perfeito para o evento. Foi o 20ª Tróia-Sagres, e tenho muitos amigos a pedalar comigo. A convalescer de uma lesão no joelho, este ano demorei 7h 20m a chegar a Sagres. Muito ajudado por um grupo de velhos amigos que formaram uma parede na minha frente durante todo o caminho. Obrigado André, Bruno, José Carlos, Borrego, Cláudio, Suzana e Diogo.

2010 - Cerca de 1200 à partida de Tróia (Alguns a partirem mais à frente na Comporta). Uma grande festa por essas estradas do Sul do país. Com esta dimensão de participação, num evento que não é uma organização, é impossível de saber exactamente quantos partiram e quantos chegaram. Mas, obrigado a todos os que me acompanharam este ano e tornaram esta minha obstinação de ligar Tróia a Sagres de bicicleta todos os anos por altura do Natal, um dia inesquecível onde não pude esconder a emoção ao ver tanta gente animada do mesmo espírito, o espírito da superação pessoal, do mais puro antivedetismo e da mais simples e sincera vontade de pedalar horas a fio. OBRIGADO a todos.
Pela primeira vez num Tróia-Sagres furei logo ao km 20 e só consegui arranjar uma roda de substituição ao km 105. Mesmo assim adorei cada quilometro dos que fiz.

2011 - Cerca de....(mais que muitos). Muitos mais que no ano anterior. Impossível de contar. Saí pelas 7:30 e nas rectas desde Tróia à Comporta via na minha frente filas compactas de ciclistas que ainda de noite se fizeram à estrada. Nunca poderia alguma vez ter imaginado, há 20 anos atrás, no que o meu Tróia-Sagres se viria a tornar. Uma autentica e expontanea festa do ciclismo nacional na sua forma mais livre e descomprometida que nesta altura do ano preenche as estradas da costa para sul e que congrega gentes de todas as idades e classes sociais. Sem qualquer pretenciosismo, sem qualquer organização, sem qualquer cobertura mediática, sem qualquer ambição, com a harmonia de um caos organizado,  o Tróia-Sagres tornou-se a maior CLÁSSICA do ciclismo nacional. Orgulho-me de ter sido o embrião deste acontecimento e enquanto puder tudo farei para zelar pela sua continuidade com esta sua fórmula que sempre se baseou num passeio de amigos ao fim de semana. UM GRANDE OBRIGADO a todos os meus velhos e novos amigos.
Este ano tive a alegria de ter por companhia durante os priemiros 100 kms, a minha companheira de sempre, a Berta, de quem me despedi em Milfontes para fazer sózinho, os restantes kms até Sagres. Terminei exactamente ao sol-posto, missão cumprida.

2012 - Já não é possível ter uma contagem acertada... . Estima-se que estivessem à partida em Tróia mais de 2000 pessoas com o objectivo de pedalar até Sagres apesar da ameaça de chuva. Este ano com a motivante companhia da Berta saí às 5 da manhã afim de garantir que cumpriria a promessa de chegar a Sagres antes do sol se pôr. E conseguimos, estavamos em Sagres às 16:30.
Ano após ano o Tróia-Sagres é cada vez mais uma afirmação de competência de tantos que treinam afincadamente para este objectivo. Para quem gosta de pedalar fazer o Tróia-Sagres é a meta a atingir, a maturidade no ciclismo, o reconhecimento, a auto-motivação e acima de tudo o saborear do momento de glória ao avistar a placa de Sagres depois de pedalar horas a fio na incerteza de conseguir.
A festa do ciclismo esteve uma vez mais na estrada, colorindo o dia cinzento deste sábado 15 de Dezembro. UM GRANDE OBRIGADO a todos que vieram e também aos  que gostariam de ter vindo mas que as previsões metereológicas para o dia se lhes mostaram adversas e porconseguinte alteraram os planos.
Foi bom ver tantos dos meus amigos passarem por nós pelo caminho. Este ano sim tive oportunidade de ver muitos e rever alguns do antigamente. Agradeço ainda á forma bem mais cívica com que a maioria dos acompanhantes nos carros de apoio se comportaram nas estradas e ao apoio e moralização que foram dando a quem pedalava.
Em termos de records não sei se alguém fez melhor que os 5h 25' do José Salgueiro numa BTT em 2004. Mas há outros records que ficam para a posteridade, este ano o record de idade masculino fixa-se nos 72 anos e o feminino nos 64 anos.
Mas o maior record este ano é meu, e expressa-se nos cerca de 2000 obrigados que dei a todos os que me acompanharam.

2013 - Deixou de ser possível saber quantos participam no Tróia-Sagres. A percepção que todos tivemos foi que esteve muito mais gente que no ano passado. Uns falavam no dobro, outros até mais do dobro. Sabem que mais, acho que já não é mais importante saber quantos. Posso é afirmar que depois que começamos a ser ultrapassados em Vila Nova de Milfontes, não mais tivemos um momento que não houvesse grupos de ciclistas em constante frenesim de ultrapassagem.
Este ano partimos pelas 5 da manhã num grupo de 4, eu a Berta, o Pedro e a Irene, sempre com o objectivo de chegar a Sagres antes do sol-posto. Afinal Eu e a Berta até chegámos pelas 15:35. Foi um grande feito para a Berta. Em 1997 com 49 anos tinha feito o Tróia-Sagres em 9h 45m de pedal, este ano com 65 anos de idade e mais 8 quilos fez em 9h 51m. Parabéns.
As bicicletas de estrada são cada vez em maior número e na minha melhor estimativa já ultrapassam os 90%. Embora não respeitem o espirito do evento, fico-lhes também muito grato por me virem fazer companhia. Não é importante como se vem, o importante é estar, viver o acontecimento, fazer parte e contagiar outros com a vivência dos momentos nos relatos que se fazem.
O São Pedro foi nosso amigo este ano e brindou-nos com um dia espetacular onde até o frio fez uma trégua. O vento soprou moderado de Este e não perturbou por aí além. 
É claro que um múmero tão avassalador de participantes e de carros de assistência, as estradas começam a ficar estreitas para todos. Sinceramente a nós ninguém nos perturbou e tudo foi fluido à nossa volta. Há lugar para todos se todos se comportarem com civismo e se o espirito que os anime for o de convivio, participação descomprometida, alegria e festa. 
Passem a mensagem aos vossos amigos, contagiem-os deste espirito e se para 2014 formos o dobro, não será pela pequenez das estradas que a festa não venha a acontecer.
Obrigado a todos..................não sabia que tinha tantos amigos!!!!.

2014 - Na impossibilidade de contar o número de participantes, estimou-se que este ano estariam um pouco menos que em 2013, mas mesmo assim superando largamente as 2000 pessoas. Suficientes para que a festa, o festival de cores nas estradas e a aúrea de alegria que são constantes do Troia-Sagres estivessem presentes e contagiassem todos os que deixaram os lençois ainda bem escuro de madrugada para pedalar ou acompanhar os que pedalaram até ao extremo sudoeste do continente.
Este ano sem companhia femenina (a Berta não treinou o suficiente porque esteve 4 meses parada devido a uma vertigem prolongada provavelmente causada por um virus que apanhou na Indónesia onde fomos pedalar nas férias), arranjei um mini grupo formado pelo Zé Vaz e o Tiago. partimos antes das 8, fomos nas calmas mas num ritmo certo e chegámos a Sagres em cerca de 7h 25'.
Agradeço a todos os velhos amigos que fui encontrando pelo caminho terem aparecido uma vez mais, e aos outros amigos que não conhecia e que sabe-se lá porquê e a mando de quem resolveram vir fustigar o corpo neste dia frio de Dezembro.  Um grande abraço para todos e fica desde já aqui o convite para virem comigo outra vez em 2015 se Deus quiser.

2015 - Muitos e cada vez mais amigos, novos e alguns (poucos) de longa data, compareceram à chamada e mais uma vez o Tróia-Sagres pautou-se por uma enorme mole de gente, um número impossível de estimar que coloriu as estadas da costa vicentina.
Este ano, uma vez mais sem a minha companheira Berta, fiz equipa com o Zé Vaz e o Tiago Afonso, partimos um pouco antes das 8 e chegamos a Sagres fazendo um tempo de pedal de 7h 38'. 
Um grande obrigado a todos pela companhia e cá os espero a 10 de Dezembro 2016 para fazermos do Troia-Sagres o evento ciclista não organizado com maior participação a nível mundial (tanto quanto conto saber).

 

 

 

       
 
Para pesquisar produtos escreva o nome ou uma característica do produto.


 
 
01 Garmin Suporte de bicicleta Oregon/Dakota/62/64/eTrex
02 Garmin Capa de silicone Dakota
03 GARMIN - eTrex 30x
04 Garmin Sensor de frequência cardíaca PREMIUM
05 Garmin Mosquetão Oregon/Dakota/62/64/eTrex
06 Garmin Quick Release Kit para Forerunner 910XT e Edge
07 Track GPS Troia-Sagres
08 Garmin Suporte de bicicleta Edge 705/605/305/205
09 Garmin Suporte de bicicleta Edge 5xx / 8xx / 1000
10 Garmin Kit Automóvel Oregon/Dakota/62/64/eTrex